quinta-feira, 21 de abril de 2011

Poemas Malévolos


Sentimentos de austeridade
Ressentida pelo tempo
Que desperta infelicidade
Vazio de esperanças.

Habitada nesse inferno
Dominada pelo Satã
Que fere o meu coração
Vermelho como a impudente luxúria.

Vidas marcadas por devassidão
Desprezada pela prudência
Desonrada pela vida
Tragada pela morte infinita
Que o tempo me leva a fundo
A uma Geena ardente
Consumida pelo fogo fervilhante
Da cor do meu ferido coração
Cortada pelos prazeres do mal!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...